Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Integrantes do Programa de Extensão Dança FAMES são selecionados para dançarem em companhia no exterior

Integrantes do Programa de Extensão Dança FAMES são selecionados para dançarem em companhia no exterior

Integrantes do Programa de Extensão Dança FAMES são selecionados para dançarem em companhia no exterior
Da direita para a esquerda: Matheus Soares Jardim, Héctor Böhâmia, Alline Fernandez e Lucca Adams Pilla.

A realização de um sonho quase improvável é o que está acontecendo com dois integrantes do Programa de Extensão Dança FAMES. Lucca Adams Pilla e Matheus Soares Jardim foram selecionados para trabalharem no exterior através do projeto Böhâmia Danse Quartett, realizado pelo coreógrafo e professor internacional, Héctor Böhâmia, que seleciona quatro dançarinos dentre países do mundo todo e os proporciona uma carreira como dançarinos. A sede da companhia é em Frankfurt na Alemanha, mas são realizados espetáculos em países do mundo todo.

Esse ano o quarteto é formado por quatro bailarinos de origem latina, duas meninas argentinas, Camila Pietrantueno e Dolores Martinez Funes, e dois brasileiros, Matheus e Lucca. Bohamia comenta sobre a relação de amizade e respeito que há entre os jovens, que segundo ele nunca havia acontecido com outros quartetos em 20 anos de Böhâmia Danse Quartett. “Poucas vezes se teve uma compatibilidade humana tão grande entre os bailarinos como está acontecendo agora. Tanto dos meninos quanto das meninas. Isso para mim é muito importante, essa parte é fundamental”, revela.

Em 2018, o quarteto realiza a turnê denominada “Live On Tour”, na qual são apresentados dois tipos de espetáculos, sendo que cada espetáculo compreende uma temática e uma coreografia diferente. Dia 6 de julho acontece a primeira apresentação, em Rosário na Argentina. Até lá, a professora e coordenadora do Programa de Extensão Dança da Faculdade Metodista, Alline Fernandez, explica que os bailarinos terão dois meses para ensaiarem as coreografias. “Dia 7 de maio os meninos viajam, vão ficar tendo aulas, se preparando e aprendendo sobre os espetáculos. Eles estreiam em julho e a partir daí seguem realizando apresentações até dezembro”.   Neste período de seis meses, o quarteto realizará 124 concertos em 124 cidades de diferentes países da América Latina, como Argentina, Chile, Paraguai, Uruguai, Peru, Equador, Bolívia e Brasil. Em Santa Maria a turnê será apresentada no dia 7 de novembro no Centro de Convenções da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Após isso, a companhia faz um recesso de 16 dias, para em janeiro de 2019 dar início à segunda parte da turnê, que desta vez passará por países europeus.

Um sonho que parecia impossível de se tornar realidade

Lucca e Matheus conheceram Héctor em abril de 2017, quando ele esteve na cidade para realizar um workshop com os integrantes do programa.  “Foram dez dias de muito trabalho, de muita aprendizagem”, relembra Lucca. Meses passaram e só em setembro os dançarinos receberam o convite que mudaria suas vidas: “Ele explicou toda a proposta, o que é a companhia, o que são os espetáculos, e inclusive sobre o fato de irmos embora. Eu confesso que demorei quase dois dias para respondê-lo, pois fiquei atônito. Não acreditava que aquilo estava acontecendo. Sabe o bilhete dourado da Fantástica Fábrica de Chocolate que existe um em um milhão? Nunca ninguém acha, daí tu acha e ainda tem dois, um para ti e outro para o teu melhor amigo”, comemora Lucca.

Matheus e Lucca são acadêmicos de Dança na Universidade Federal de Santa Maria. Devido à oportunidade de trabalharem no exterior os jovens revelam que as perspectivas mudaram e agora os planos para o futuro podem ser outros: “O Böhâmia está nos dando a oportunidade de realizarmos um sonho. Hoje, mais do que nunca, a gente tem a certeza de que trabalhamos com dança, de que a nossa escolha deu certo. Hoje, eu não só estudo dança, eu estou tendo a possibilidade de trabalhar com ela. No momento o planejamento é fazer a turnê de dois anos, o que vai acontecer depois, se eu ainda não sei”, pondera Lucca.

Lucca tem contato com a dança desde os seus cinco anos. Mas só ficou sabendo do Programa de Extensão da Faculdade Metodista em 2013, através de Matheus. “Foi aqui que eu descobri o meu amor pela dança. Eu aprendi a ser um artista através do projeto. Mais pessoas tinham que experienciar isso. O projeto muda vidas”, considera.

Já Matheus conheceu o programa quando criança, através das primas que frequentavam as aulas por serem alunas do Colégio Centenário. Assim como Lucca, ele já fazia aulas de dança em outro lugar, mas foi através do projeto que descobriu sua grande paixão pela dança: “Foram as aulas do projeto que me fizeram amar o que eu faço hoje. Meu corpo inteiro brilhou ao ver a forma como as minhas primas eram ensinadas”, relembra. Devido ao carinho que desenvolveu pelo programa, Matheus trocou de escola e passou a frequentar o Colégio Centenário, onde estudou até concluir o Ensino Médio. Dentre toda a sua vivência com a dança e com o projeto de extensão, ele ressalta que o apoio da professora Alline Fernades foi o fator mais importante para ele chegar onde está hoje. “Aqui é a minha casa. Ela consegue me confortar, me ensinar. Tudo o que eu sou hoje é por causa dela. É lindo ver o quanto ela me ensinou a crescer. Enquanto todas as pessoas me falavam para parar de dançar e que a dança não tem futuro, só aqui me incentivaram”, revela. Matheus ainda comenta que a escolha de Bohamia é reflexo do trabalho e do esforço que os bailarinos juntos da professora desenvolvem há anos dentro do projeto da instituição.

Emocionada diante do reconhecimento que o programa está recebendo, Alline explica que sempre instigou os alunos a procurarem experiências e trabalhos em outros lugares e com outras pessoas. “Eles precisam de outras experiências e eu sei do talento deles, mas para mim também está sendo uma surpresa muito grande, pois é uma realidade distante do que estamos acostumados em Santa Maria, tanto que é a primeira vez que alguém está tendo a oportunidade de trabalhar fora”, destaca.

A Coordenadora de Extensão e Ação Comunitária da Faculdade Metodista, professora Tatiana Trevisan, ressalva que a extensão é um dos pilares na construção do profissional que a instituição almeja edificar. A professora atribui que programas como o Dança Fames propicia o aprendizado por meio de estudo, reflexão e aplicação do conhecimento produzido no meio acadêmico. “O Dança Fames, há muitos anos tem contribuído com a construção pessoal e profissional dos inúmeros participantes e integrantes bailarinos que fazem parte do programa. Desejo sucesso ao Matheus e Lucca e que continuem realizando seus objetivos”, incentiva.

 

Para saber mais sobre o trabalho do Böhâmia Danse Quartett e sua a turnê clique aqui.

 

Assessoria de Imprensa